bootstrap buttons

Sê contigo um. Não anda à cata de tuas partes.
Vive do que és. Não da luz de outros sois.
Planta tuas flores. Não as alheias.
Essa a prece que me rezo.
E só em mim espero refúgio.
E nada mais espero,
Mais que nada houvesse.

(2017) 

Rodrigo Vaz © Poesia Alguma   2017     Sobre os Direitos Autorais