POESIA ALGUMA

279708282_7361342190603148_5809867310543281263_n

O Poeta

Nascido em Aguaí, estado de São Paulo, começou a escrever aos dezesseis anos, por influência de sua mãe, que já havia lançado um romance, do qual foi o ilustrador. Seus primeiros trabalhos, em prosa, buscaram inspiração na obra de Gibran Khalil Gibran. Trabalhou no jornal de sua cidade natal, “O Imparcial”, cuja dedicação de seu diretor, Ernani Selber de Freitas, aprofundou-lhe o interesse pela escrita. Ali, de arte-finalista passou a escrever os primeiros artigos. O semanário recebia para publicação diversos trabalhos literários de autores de várias partes do país, o que fez com que o poeta descobrisse na poesia a sua verdadeira vocação. Também por influência dos trabalhos de Vinícius de Moraes, Pablo Neruda e, principalmente, de Paulo Leminski, começou a compor seus primeiros versos.

Nesta primeira fase de sua escrita, participou do “VIII Concurso Raimundo Corrêa de Poesia”, tendo um de seus trabalhos, “Espera”, sido selecionado para a antologia “Poetas Brasileiros de Hoje”. Conheceu os poetas Walther Castelli Júnior (apresentado por seu amigo Edson Domenciano), Mateus Martins e aquele que seria seu grande incentivador, Felix Carbajal. Realizou em sua cidade a mostra “Amigos Poetas”, com participação de Selma Mamede (mãe do poeta) e Arlene Padrão. Com os poetas Mateus Martins e Flávio Perina, fundou o “Grupo Cultura”, que realizou vários varais de poesia em Aguaí e um mural em homenagem ao centenário da cidade. Posteriormente, juntou-se ao grupo o artista e poeta Júlio Maia.

Paralelamente à atividade literária, estudou na Escola Pan-americana de Arte, de São Paulo, e participou regularmente da “Semana de Arte de Aguaí”. Com o “Grupo Cultura” e a participação de Suzana Carvalho, organizou a “Mostra Arte & Afins”, uma das maiores exposições de arte que Aguaí já recebeu, com artistas renomados. Também estudou música (flautas barroca e transversal e violão clássico) na “Escola Sanjoanense de Educação Artística” e no “Conservatório Carlos Gomes”, de Campinas. Na música, foi aluno, entre outros, de José Roberto Vital, Marcelo Santos e Ângela Munner. Foi um dos fundadores da Associação Comercial de Aguaí e do semanário “Ponto Final”.

Recentemente, foi jurado do “Prêmio Guilherme de Almeida” de literatura, realizado pela Prefeitura Municipal de Campinas e foi convidado por Rosangela Reis para a coletânea literária “Encontro das Artes”, publicada pela Editora Komedi, da qual participou com o poema ”Tao”. Em setembro de 2023, o poema “Fidelidade” foi selecionado e publicado no jornal Folha de São Paulo, no espaço “Praça do Leitor” (leia aqui).  Atualmente, publica seus poemas semanalmente no jornal “O Imparcial”, de Aguaí – SP, é membro correspondente da “Academia de Letras Aguaiana” e vive em Campinas – SP. 

Rodrigo Vaz © Poesia Alguma 2017 - 2024

Desenvolvido por