POESIA ALGUMA

A ampulheta

Os olhos se fecham
Cai a cortina do tempo
O último grão de areia cede às leis naturais.

No fim, a vida é só pó que se pisa
Até as estrelas tornam ao pó
Mas, ainda que, findas,
Vaga inda sua luz pelo espaço sem fim
E àqueles que alcança,
Porque a luz lhes mente,
(jamais uma estrela foi vista!)
A morte parece vida.

Rodrigo Vaz © Poesia Alguma 2017 - 2022

Desenvolvido por