POESIA ALGUMA

Instâncias

nada é pessoal
a natureza é sem ouvidos
para nossos ais e gemidos
não tem mão
que nos atravesse
a rua escura
(é sem faixa de pedestres o porvir)
sorte é só por agora
logo vêm os dados
dizer quem ri e quem chora
a hora é coisa sem morada
e sua estada é a estrada

então,
ignora o que anseias
a má hora
não caminha
um chão de estrelas
segue em terra firme
conta os passos
perdendo a soma a cada vez
que tua rede não repouse
em leito seco
nem te prenda
algum encanto
só demora onde habita
o riso humano
aí podes te esquecer!

Rodrigo Vaz © Poesia Alguma 2017 - 2024

Desenvolvido por