POESIA ALGUMA

o vento
tira o mar
para dançar
e esvoaça
o seu vestido
que rebenta
na praia

o mar
não se cansa
de quebrar
ao soprar
do vento
que lhe beija
a tez fluida

(nalgum canto do mundo
uma estrela finda
sem saber da vida
sem saber da onda
sem saber de mim)

Rodrigo Vaz © Poesia Alguma 2017 - 2024

Desenvolvido por